Quem é usuário Linux, seja em máquina real ou virtual, com ou sem dual boot com certeza conhece, ou ao menos sabe o que é o terminal.

Toda vez que você utiliza o emulador de terminal em alguma distro Linux, na verdade você está interagindo com um interpretador de comandos, que é uma interface de usuário em modo texto que literalmente traduz as palavras/comandos que você digita para uma linguagem que a máquina consiga entender.

terminal-linux-bash
Visual padrão do Bash.

A maior parte das distribuições Linux, ao menos as mais famosas como Ubuntu, Linux Mint e Fedora trazem por padrão um interpretador de comandos chamado “Bash”. O Bash é sem dúvidas o interpretador de comandos mais usado no mundo Linux, mas isso não significa que seja o único.

Também temos outras opções tão boas quanto, na opinião de alguns até melhores, e é de uma dessas opções que vamos falar hoje. Estamos falando do “Zshel”, ou “ZSH”. Assim como o Bash o ZSH também é um interpretador de comandos, porém com várias opções, configurações e funcionalidades diferentes.

ZSH e OhMyZsh

Assim como em outros lugares, no mundo Linux existem muitos tipos de usuários. Alguns apenas querem um sistema que funcione, sem ligar para aparência, efeitos, transparências e wallpapers. Outros (assim como eu) gostam de que além de funcionais os sistemas também sejam bonitos. Para resumir, gostamos de uma boa perfumaria, e este é o objetivo principal deste post.

Hoje vamos ensinar você a instalar o ZSH com uma extensão chamada “Oh My Zshell”, e atravéz dessa extensão a ativar o tema chamado “Agnoster”. Para que no final das contas fique algo como a imagem abaixo:

terminal-linux-zsh
ZSH + Oh My Zshell + Tema Agnoster. Todas as cores podem ser alteradas nas configurações do próprio terminal.

Como instalar?

Primeiro instale o ZSH e mais algumas dependências que vamos precisar no futuro:

Debian, Ubuntu e derivados:
sudo apt install zsh wget git fonts-powerline

Manjaro/Arch e derivados:
sudo pacman -S zsh wget git powerline-fonts

Fedora:
sudo dnf install zsh wget git powerline-fonts

OpenSUSE:
sudo zypper install zsh wget git powerline-fonts

Em seguida vamos instalar o “Oh My Zsh”. Clique aqui para acessar a página do “Oh My Zsh” no Github, role a página até a seção “Basic Installation”, copie o comando e rode no seu terminal (conforme imagem abaixo).

instalando-o-ohmyzsh

Durante a instalação do “Oh My Zsh” será questionado se você deseja alterar o seu “shell” padrão para o “ZSH”, basta pressionar “Y” e “Enter”.

Agora para ativar o tema “Agnoster” é necessário editar o arquivo “.zshrc” que está oculto na sua “Home”. Para exibir arquivos ocultos use “Ctrl + H”. Edite o arquivo “.zshrc” substituindo o nome do tema atual por “agnoster” e salve, conforme imagem abaixo:

configurando-o-ohmyzsh

Agora vamos configurar para que o tema Agnoster seja exibido também em modo “root”. Execute os comandos abaixo um por vez e na mesma ordem:

sudo cp /home/$USER/.zshrc /root
sudo cp -r /home/$USER/.oh-my-zsh /root
sudo sed -i '5s/^/# /' /root/.zshrc
sudo sed -i '5i export ZSH="/root/.oh-my-zsh"' /root/.zshrc
sudo usermod --shell $(which zsh) root

Reinicie a máquina ou a sessão, e pronto!

oh-my-zsh-instalado
Resultado final. (Todas as cores podem ser alteradas nas configurações do terminal)

Agora você tem o seu terminal bonitinho, “frufruzudo” e com as funções extras que o ZSH tem a oferecer.

Se você quer saber mais sobre o ZSH:
Zshell Wikipedia
Diolinux YouTube


Se você já completou o tutorial acima e deseja personalizações extras, aqui você encontra uma dica do colaborador Vinicius A. Lopes sobre como exibir apenas o nome de usuário, ao invés de “user@hostname”. Como no exemplo abaixo:

Isso é tudo pessoal! 😉