Melhorar o desempenho do processador no Fedora, Mint, Ubuntu e derivados

Vocês já se pegaram vendo um vídeo, ou talvez um amigo que tenha um hardware igual ou inferior ao seu rodando melhor, com mais FPS e de forma mais fluída o mesmo jogo no mesmo sistema operacional?
Bom, eu já. Passei muito tempo procurando as razões para isso estar acontecendo, procurando otimizações e tweaks, e há pouco tempo encontrei um plugin, na verdade uma categoria de plugins de muito fácil uso e instalação que realmente fazem a diferença.

Estou falando dos Gerenciadores de Frequência do CPU.

Normalmente, por padrão, ao menos na maioria dos sistemas operacionais o processador é utilizado em um modo de economia de energia, também chamada de “On Demand”. O On Demand mantém o processador trabalhando em baixa frequência, fazendo com que a mesma suba apenas quando mais desempenho for realmente necessário. Mas esse sistema On Demand óbviamente não foi feito para deixar o seu PC mais lento.

  • O On Demand, na teoria, além de economizar energia também mantém o seu processador trabalhando menos e à uma temperatura mais baixa, o quê na teoria aumenta a vida útil do processador.
  • Percebam que no trecho acima eu dei ênfase à “na teoria”. Sim, isso porquê na prática a diferença na temperatura e vida útil do processador pode ser insignificante, ou inexistente. Tudo vai depender de uma série de fatores como o sistema de refrigeração do seu gabinete, o ambiente no qual você usa o seu computador e qual é o modelo do CPU. Outro motivo pelo qual eu dei ênfase à “na teoria” anteriormente é porquê sempre li sobre essas possíveis consequências de se usar o processador no modo de Desempenho, mas nunca vi e nem ouvi falar, nem pessoalmente e nem pela internet um caso real de um processador ter parado de funcionar cedo demais por conta disso.
  • Processadores são feitos para durar décadas e são tão bem feitos que é muito raro ouvir falar de algum que tenha parado de funcionar (a não ser aqueles usuários que viram um vídeo no You Tube ou ouviram de um amiguinho que dá pra fazer um overclock pra deixar o processador “rapidão” haha).

Ta, mas e aí? Então quer dizer que se eu por o meu processador para trabalhar no modo “Desempenho” vou ganhar um monte de FPS nos meus joguinnhos? Modo desempenho é overclock?

Primeiramente, não. Modo desempenho não é overclock! O modo desempenho apenas faz com que o processador trabalhe com a sua frequência stock máxima o tempo todo, mesmo que o mesmo esteja em idle. Quanto a se vai ou não melhorar o desempenho na sua máquina, eu não tenho um monte de computadores e notebooks para fazer testes, tenho apenas um, e de acordo com os meus testes no meu hardware a diferença é sim bastante significativa.

Agora vamos aos resultados.
No mesmo sistema (KDE Neon), no mesmo dia, fiz dois benchmarks no Rise of the Tomb Raider, um antes e um depois de ter instalado o indicator-cpufreq e selecionado o modo desempenho, e houve uma melhora significativa, principalmente nas mínimas de FPS. Confira:

Sem o indicator-cpufreq. Processador no modo OnDemand.
Com o indicator-cpufreq. Processador no modo Performance.

Além do Rise of the Tomb Raider percebi uma melhora talvez ainda maior em outros dois jogos: Tomb Raider 2013 e GRID Autosport.

Antes do Modo Desempenho, no Tomb Raider eu tinha uma taxa de FPS muito instável, variando entre 15 – 45 FPS o tempo todo, após o Modo Desempenho o jogo se mantém entre 40 e 50 FPS e com uma jogabilidade muito mais fluida.

Já no GRID Autosport foi aonde percebi a maior diferença. Antes do Modo Desempenho o jogo se mantinha entre 28-35FPS e com um bug muito irritante no áudio, que ficava clipando/com ruído durante as corridas. Após ativar o Modo Desempenho o jogo passou a rodar a surpreendentes 60-70 FPS e sem bug algum.

Meu processador é um AMD. não tenho um processador Intel para testar, mas segundo o que usuários Intel me falaram esse método faz pouca ou em alguns casos nenhuma diferença. Segundo outros usuários esse método tem mais eficácia em processadores AMD. Mas como eu disse, não tenho outro processador para testar.

Então se você tem um processador Intel, cabe à você fazer os seus próprios testes.

Os jogos mencionados acima foram testados nas seguintes configurações:

  • Rise of the Tomb Raider: Sem AntiAliasing, sem V-Sync, preset de efeitos “baixo”, 1920×1080.
  • Tomb Raider: Sem V-Sync, preset de efeitos High, 1920×1080.
  • GRID Autosport: Sem V-Sinc, Sem AntiAliasing, Preset de efeitos Médio, 1920×1080.

Ubuntu, Mint e derivados:

O Gerenciador de Frequência do CPU que testei no Ubuntu/Mint não é o mesmo aplicativo que testei no Fedora, embora ambos exerçam a mesma função. No Ubuntu utilizamos o “indicator-cpufreq”.

O “indicator-cpufreq” nos permite alterar não apenas entre os modos OnDemand e Performance, mas também entre os modos Moderado e Economia de Energia. Especialmente úteis para quem está utilizando um notebook em um local aonde não tem a opção de ligá-lo em uma tomada.

indicator-cpufreq – KDE Neon

Fedora

Já no Fedora o aplicativo que testei foi o CPUFreqUtility. O funcionamento do CPUFreqUtility é parecido com o do indicator-cpufreq, porém este possui uma interface diferente e dispõe de uma opção extra: No CPUFreqUtility você consegue alterar o perfil de trabalho, bem como as frequências mínimas e máximas núcleo por núcleo.

CPUFreqUtility – Fedora 30

Instalação:

Para instalar o “indicator-cpufreq” no Ubuntu, Mint e derivados basta rodar o comando:
sudo apt install indicator-cpufreq

Para instalar o “CPUFreqUtility” no Fedora:
sudo dnf install CPUFreqUtility

Por padrão o “indicator-cpufreq” inicia automaticamente junto com o sistema, já o CPUFreqUtility adiciona um ícone/atalho para o aplicativo no menu do seu sistema. Mesmo assim o CPUFreqUtility pode ser adicionado aos programas que iniciam com o sistema, assim como qualquer outro aplicativo.

Importante!

Em processadores AMD, para que o plugin funcione é necessário que a opção “Cool n’ Quiet” esteja ativada na Bios. Segundo relatos de usuários, em processadores Intel é necessário que a opção “Intel Speedstep” esteja ativada na Bios para que o mesmo funcione.

O Hardware no qual os testes foram feitos é o seguinte:
CPU AMD FX6300 3,5Ghz
1x8GB DDR3 1600Mhz HyperX
HDD WD Blue 1TB
AMD Radeon R7 360 2GB
Driver: amdgpu + Mesa 19.1.0.

Para mais testes e informações sobre o “indicator-cpufreq”, além de outras dicas e tweaks para otimizar o desempenho dos jogos no Linux, recomendo que vejam este vídeo do Sr Rob Linux Brasil que foi uma das principais fontes de informação para que eu fizesse esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s